Ocorreu um erro neste gadget

sexta-feira, abril 17, 2009

Bovespa fecha o dia com perdas

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) terminou um pregão instável em baixa nesta sexta-feira (17). Depois de oscilar ao longo do dia, o índice Ibovespa - referência para o mercado nacional - teve baixa de 0,54%, terminando aos 45.778 pontos.
Na véspera, depois de ter uma alta de 1,66%, a Bovespa atingiu novamente seu melhor patamar desde outubro de 2008, ficando acima dos 46 mil pontos. Depois da queda desta sexta, o mercado nacional perdeu este patamar, mas, mesmo assim, conseguiu fechar a semana em território positivo, com alta de 0,52%. No ano, a alta se aproxima de 22%.

Comportamento do mercado
No mercado nacional, o volume financeiro diminuiu um pouco depois do forte giro dos últimos dias, ficando em R$ 4,1 bilhões.
Liderando as vendas, Cosan ON afundou 11,97%, para R$ 12,50. Entre os motivos apresentados para a queda está possibilidade de redução no preço da gasolina, o que reduz a competitividade do álcool combustível.
No entanto, o que foi possível observar com base nas corretoras que operaram o papel foi um grade vendedor, que se desfez de mais de 2,845 milhões de ações da companhia, dez vezes mais que a segunda maior venda do dia.
Entre as altas, destaque para a ação PNA da Usiminas, que ganhou 4,23%, para R$ 34,71, enquanto o papel ON aumentou 4,24%, a R$ 31,40. A Vale comunicou que deixou o bloco de controle da siderúrgica vendendo suas ações ON por R$ 40 cada aos atuais acionistas (Camargo Corrêa, Mitsubishi Corporation, Nippon e Votorantim).
Entre os bancos, Bradesco PN perdeu 0,56%, a R$ 26,20, enquanto Banco do Brasil ON aumentou 0,32%, a R$ 18,41. Na semana, o papel do BB subiu mais de 9%, recuperando praticamente toda a perda da semana anterior, quando foi anunciada a mudança no comando da estatal.

Outros pregões
O índice FTSEurofirst 300, referência das principais ações europeias, subiu 1,58%, para 814 pontos, superando maior patamar de fechamento em mais de dois meses. Ao longo da semana, o indicador ganhou 4,3%. Todos os principais mercados do continente tiveram altas significativas, com destaque para Paris, que subiu 1,77%.
Nos Estados Unidos, o mercado repercutiu principalmente os resultados do banco Citigroup, que anunciou um lucro líquido de US$ 1,6 bilhão no primeiro trimestre do ano, interrompendo uma sequência de cinco trimestres negativos. A gigante General Electric também apresentou balanço melhor que o esperado.
As bolsas americanas subiram pela sexta semana seguida. O índice Dow Jones, referência para o mercado de Nova York, ficou quase estável, com alta de 0,07% nesta sexta-feira, aos 8.131 pontos. O termômetro de tecnologia Nasdaq registrou leve alta de 0,16%, para 1.673 pontos. O índice Standard & Poor's 500 avançou 0,50%, para 869 pontos.
(Com informações do Valor OnLine e da Reuters)

2 comentários:

Anônimo disse...

Professor, ajude um ignorante aluno seu a decifrar este enigma. Observando os gráficos do stockchart, percebo os candlesticks de baixa as vezes vermelhos e as vezes negros, e os indicadores de volume as vezes vermelhos e as vezes negros. O senhor saberia me explicar o porquê disto? Agradeço sua atenção!
Atenciosamente, Luís Francisco

Humberto dos Santos disse...

Luís e apenas uma convenção do stockcharts. Quando a ação sobe as figuras são em branco; quando caem as figuras são em vermeho. O mesmo raciocínio se alica aos volumes (rosa e cinza).