Ocorreu um erro neste gadget

quarta-feira, abril 29, 2009

Bovespa sobe mais de 3% e atinge o maior patamar em quase sete meses

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou em forte alta nesta quarta-feira (29), acompanhando de perto o bom humor do mercado financeiro externo em dia de agenda cheia, que incluiu a divulgação do desempenho da economia americana no 1º trimestre e a decisão sobre a taxa básica de juros do país.
Com isso, o índice Ibovespa, referência para o mercado nacional, fechou em alta de 3,07%, aos 47.226 pontos. Trata-se do maior patamar em quase sete meses - a Bovespa não registrava maior pontuação desde 1º de outubro de 2008. O volume financeiro negociado do dia ficou acima de R$ 5 bilhões.
Com isso, no penúltimo pregão do mês, a Bovespa já acumula ganho de 15,39% em abril. Desde o início do ano, o mercado financeiro brasileiro já apresenta recuperação de 25,77%.
Entre as ações mais valorizadas, figurou a do Itaú-Unibanco, maior instituição financeira do país, que subiu 6%, seguindo de perto os fortes ganhos registrados pelo setor nos Estados Unidos e na Europa. Outras ações de destaque foram as dos setores imobiliário e de construção, como Gafisa, Rossi e Cyrella.

Dados externos
Nos Estados Unidos, pela manhã, foi divulgada a informação preliminar do Produto Interno Bruto (PIB) no 1º trimestre, que mostrou contração de 6,1% da economia. Diante da crise, o dado não foi considerado tão grave pelo mercado financeiro. No quarto trimestre, a economia já tinha encolhido 6,3%.
O Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA) manteve nesta quarta-feira a taxa de juros do país inaltarada no intervalo entre zero e 0,25% ao ano. O BC afirmou que o ritmo de deterioração da economia do país parece estar diminuindo, mas acrescentou que continuará mantendo a taxa de juro em nível excepcionalmente baixo por um longo período.
"O comitê avalia que as condições econômicas devem justificar níveis excepcionalmente baixos para a taxa dos 'federal funds' por algum tempo", afirma o comunicado no qual o Fed anunciou sua decisão.

Dados locais
O mercado financeiro também ignora dados negativos divulgados nesta quarta-feira para o mercado interno. A taxa de desemprego em seis regiões metropolitanas do país voltou a crescer em março e atingiu 15,1%, segundo pesquisa realizada pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) em parceria com a fundação Seade.
A Confederação Nacional da Indústria (CNI) informou nesta quarta-feira (29) que a queda da atividade industrial se intensificou no primeiro trimestre deste ano. Segundo o indicador, a produção caiu para 36,1 pontos, 16,1 pontos abaixo do patamar do 1º trimestre de 2008 e 4,7 pontos menor que o do 4º trimestre do ano passado.

Outros pregões
Nos Estados Unidos, o índice Dow Jones, referência para Nova York, subiu 2,11%, para 8.185 pontos. O termômetro de tecnologia Nasdaq avançou 2,28%, para 1.711 pontos. O índice Standard & Poor's 500 teve valorização de 2,16%, para 873 pontos.
Na Europa, o índice FTSEurofirst 300 subiu 2% de carona nas ações de bancos e do setor de energia. Entre os principais mercados, Londres teve alta de 2,17%, Paris caiu 2,26% e Frankfurt teve desvalorização de 2,24%.
Na Ásia a quarta-feira foi de valorização nos principais mercados. Tóquio não operou em função de feriado.
(Com informações da Reuters e do Valor OnLine)

Nenhum comentário: