Ocorreu um erro neste gadget

terça-feira, abril 07, 2009

Bovespa segue mercado externo e fecha pregão instável em baixa

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou em baixa um pregão instável nesta terça-feira (7), no qual o índice Ibovespa - referência para o mercado brasileiro - terminou em queda. O índice perdeu 0,78%, terminando o dia aos 43.824 pontos. Foi o segundo dia consecutivo de perdas do índice.
Para o gestor da Vetorial Asset, Sérgio Machado, o Ibovespa não quer cair e já mostrou isso na sessão de segunda-feira (6), quando o índice recuou 0,5%. Os investidores realizam lucros até os 43.500 pontos e depois os compradores já voltam a aparecer. "O mercado não quer ficar de mau humor", diz ele.
Segundo Machado, a crise não acabou e a situação da economia ainda é muito grave, mas o mercado continua surfando nas expectativas positivas formadas pelas ações do governo dos Estados Unidos e as proposições discutidas no encontro do G20. "E isso continua até que essas expectativas se desgastem. Dá para notar que o mercado compra a boa notícia à vista e a má notícia a prazo."
Outro ponto destacado pelo gestor é que não dá para ser ignorado o fluxo de recursos. Segundo dados da própria bolsa, nos dois primeiros dias de abril, o saldo de investimento estrangeiro já passava de R$ 1,3 bilhão.
Pelo lado interno, aponta o gestor, a inflação reafirmando trajetória de baixa contribui para as expectativas de novas reduções de juros, o que leva os investidores a buscar rendimento fora da renda fixa.
O faturamento da indústria cresceu 0,7% de janeiro para fevereiro deste ano, em termos dessazonalizados (que desconta a variação de dias úteis de um mês para o outro) informou nesta terça-feira a Confederação Nacional da Indústria (CNI).
Contra fevereiro do ano passado, houve uma queda de 10% e, no primeiro bimestre deste ano, foi registrado um recuo de 10,9% - o pior desempenho desde o início da série histórica, em janeiro de 2003.

Mercado externo
Sem indicadores de peso na agenda do dia, a atenção se volta para as notícias internacionais. O Banco do Japão ampliou a variedade de colaterais que aceitará para conceder seus empréstimos. Na Ásia, as bolsas fecharam o dia com perdas.
Sinal negativo em Wall Street, onde os agentes mantêm a cautela ante o início da temporada de balanços do primeiro trimestre e com as ações de banco em baixa. A fabricante de alumínio Alcoa dá a largada nesta terça após o encerramento dos negócios. A previsão aponta para prejuízo de US$ 4,68 bilhões. O índice Dow Jones, referência para Wall Street, teve perdas de 2,34%.
Na Europa, os mercados voltaram a ter baixa, caindo 0,7% nesta terça-feira. Assim, acumulam queda de 9% desde o início do ano. No dia, entre os principais mercados, Londres teve baixa de 1,58%, Frankfurt caiu 0,63% e Paris perdeu 0,94%.
(Com informações de Reuters e Valor Online)

Nenhum comentário: