Ocorreu um erro neste gadget

quarta-feira, março 25, 2009

Bovespa sobe 0,78% após pregão instável

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou um dia de oscilação em alta nesta quarta-feira (25). No fechamento, o indicador Ibovespa, referência para o mercado financeiro nacional, teve alta de 0,78%, encerrando aos 41.799 pontos.
O humor em Wall Street determinou o rumo do mercado brasileiro no dia, que teve forte variação, mas fechou em alta. As ações da Redecard, que agora está sob controle do Itaú-Unibanco, tiveram alta de mais de 7% no dia, com fortes ganhos também para empresas como Gerdau e Usiminas.
O volume financeiro negociado no dia ficou pouco abaixo de R$ 4,7 bilhões, acima do volume das últimas semanas, que vinha se situando entre R$ 3 bilhões e R$ 4 bilhões. Entre as quedas, destacou-se a Embraer, fabricante de aviões que recentemente demitiu mais de 4,2 mil funcionários, com perdas de quase 3,5%.
A semana opera sem direção definida: depois de registrar alta de quase 6% na segunda-feira (23), a Bovespa devolveu parte dos ganhos no dia seguinte, recuando mais de 2%.

Outros mercados
O resultado positivo nos EUA foi em parte justificado pelo Departamento de Comércio, que apontou alta de 3,4% nos pedidos por bens duráveis em fevereiro, surpreendo as expectativas, que eram de novo mês de retração. Excluindo bens de transporte, as encomendas cresceram 3,9%, maior alta desde agosto de 2005.
No fim do dia, o índice Dow Jones - referência para Wall Street - teve alta de 1,17%, fechando aos 7.749 pontos, enquanto o indicador tecnológico Nasdaq teve ganhos de 0,82%, para 1.528 pontos, e o Standard & Poor's teve ganhos de 0,96%, para 813 pontos.
Na Europa, os principal índice de ações terminaram em alta pela quinta sessão consecutiva, após dados econômicos positivos terem estimulado o otimismo dos investidores em relação à Wall Street. O indicador FTSEurofirst 300, referência das principais ações europeias, avançou 0,42%, para 743 pontos.
Os mercados asiáticos fecharam a quarta-feira em território negativo. Tóquio cedeu 0,10%, enquanto Hong Kong e Xangai perderam 2,07% e 2%, respectivamente. Destoando, Seul avançou 0,60%.
(Com informações de Reuters, da Agência Estado e Valor Online)

Um comentário:

Márcio CPS disse...

Professor Humberto, as coisas nos EUA acontecem, as coisas andam, é um povo e governo de atitude, já aqui, é uma vergonha, tivemos a 2º maior retração de PIB em nível mundial, e o governo e copom não souberam tomar as devidas providências e antecipar o fato, como fazem os mercados, só baixaram os juros quando os dados econômicos já estavam desfavoráveis, enfim, graças aos hermanos americanos, creio eu, sairemos desta, se dependesse do governo Lula, a coisa seria em bdiferente!!!