Ocorreu um erro neste gadget

quinta-feira, março 26, 2009

Dados externos puxam alta da Bovespa

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou em alta pelo segundo pregão nesta quinta-feira (26), animada pelo mercado externo e também pelas medidas do Conselho Monetário Nacional (CMN), que deram força para as ações dos pequenos e médios bancos nacionais no período da tarde.
Com isso, o índice Ibovespa - referência para o mercado de ações brasileiro - teve alta de 1,89% no dia, fechando o pregão aos 42.588 pontos. O volume financeiro negociado foi de R$ 3,86 bilhões.
Entre as empresas que se recuperaram no dia esteve a Embraer, que recentemente anunciou redução de pedidos e demitiu 4,2 mil funcionários em fevereiro. As ações da empresa subiram mais de 8% - nesta sexta-feira, a empresa faz coletiva para comentar os resultados de 2008.
Empresas ligadas ao setor de matérias-primas também tiveram um dia positivo. Usiminas e Gerdau, por exemplo, subiram em torno de 7%, enquanto a "blue chip" Vale do Rio Doce também teve pregão de ganhos, com valorização de aproximadamente 2%.

Ajuda a bancos
O governo anunciou nesta quinta-feira um programa para garantir o crédito concedido por pequenos e médios bancos, visando sua volta à competição do mercado e o aumento dos recursos disponíveis no sistema financeiro. Isso animou os papéis de bancos de pequeno e médio porte na Bovespa.
O programa autorizou o Fundo Garantidor de Crédito (FGC), instituição privada financiada pelos próprios bancos que hoje já garante até R$ 60 mil por correntista no caso de quebra, a dar garantias adicionais a CDBs emitidos pelas instituições.

Dados externos
No mercado nacional, os investidores mantiveram o otimismo enquanto assimilam a leitura final do Produto Interno Produto (PIB) do quarto trimestre, que apontou contração de 6,3%, a maior desde 1982, mas melhor que a queda de 6,6% a 6,7% estimada inicialmente.
Também foram divulgados os pedidos por seguro-desemprego, que aumentaram em 8 mil na semana passada, para 652 mil. Mais uma vez, o número de americanos que continua recebendo o beneficio marcou recorde, atingindo agora em 5,56 milhões.

'Novas regras do jogo'
O secretário do Tesouro americano, Timothy Geithner, apresentou nesta quinta-feira (26) a congressistas novas "regras do jogo" para Wall Street, como controle mais severo sobre os fundos de hedge e ampliação da regulação federal das operações com derivativos.
Com as novas propostas, as instituições financeiras terão de reservar mais capital para cobrir possíveis perdas e terão de elevar os padrões de administração de riscos.

Outros pregões
A Bolsa de Nova York teve um dia relativamente tranquilo nesta quinta-feira. No fim do pregão, o índice Dow Jones - referência para Wall Street - teve alta de 2,26%, enquanto o indicador tecnológico Nasdaq subiu 3,80%.
Na Europa, o fechamento também foi positivo. O índice FTSEurofirst 300, referência das principais praças da região, fechou em leve alta de 0,19%, a 745 pontos. Entre os principais mercados, só Paris teve leve baixa, de 0,05%.
As principais bolsas asiáticas terminaram a quinta-feira com ganhos. Tóquio aumentou 1,84%, Seul subiu 1,20%, e Hong Kong e Xangai valorizaram 3,57% e 3,06%, respectivamente.
(Com informações de Reuters, da Agência Estado e Valor Online)

Nenhum comentário: