Ocorreu um erro neste gadget

terça-feira, junho 23, 2009

Bovespa garante alta de 0,64% no fim de pregão de oscilação

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) garantiu leve alta nesta terça-feira (23) depois de pregão instável. O índice Ibovespa, referência para o mercado nacional, teve alta de 0,64%, terminando o dia aos 49.813 pontos. Na véspera, o índice havia perdido o patamar de 50 mil pontos após cair 3,66%.
A divulgação de um crescimento abaixo do esperado nas vendas de moradias antigas nos Estados Unidos em maio desanimou os investidores e motivou vendas por toda a amanhã. A alta foi de 2,4%, para uma taxa anualizada de 4,77 milhões de unidades. Analistas esperavam 4,81 milhões de unidades.
O volume financeiro do pregão foi de quase R$ 7 bilhões, inflado pela Oferta Pública de Ações (OPA) da Brasil Telecom Participações S.A. e da Brasil Telecom S.A., que movimentou R$ 2,56 bilhões.

Ações
O suporte para a alta local veio das "blue chips" Petrobras e Vale, que se recuperaram durante a sessão com o avanço do petróleo e dos metais. A Petrobras subiu 1,75%, para R$ 31,40, e a Vale subiu 0,87%, para R$ 30,19.
A Cosan liderou os ganhos do Ibovespa, com alta de 7,52%, a R$ 14,30, com os preços do açúcar em Nova York perto do maio valor em três anos. No início do mês, em evento em São Paulo, um diretor da companhia disse que 58% da safra seriam destinados para o açúcar, dependendo das condições climáticas.
Também ajudava a aprovação de uma emissão de R$ 350 milhões de um título nos mercados de capitais internacionais por uma subsidiária da companhia. A Cosan divulga dia 25, após o fechamento do mercado, o resultado referente a dois meses (fevereiro e março), em função da mudança do calendário fiscal de maio-abril para abril-março.
Liderando as perdas do mercado brasileiro estava a ação da Copel, que teve reajuste liberado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), mas anunciou que não repassaria o aumento. A ação da empresa teve baixa de mais de 3% no dia.

Outros pregões
A Bolsa de Nova York fechou sem direção definida, depois de um dia de bastante osiclação. No fim do pregão, o Dow Jones, índice-referência para Wall Street, teve queda de 0,19%, enquanto o indicador de ações de tecnologia Nasdaq teve baixa de 0,07%. Na contramão, o Standard & Poor's registrou valorização de 0,23%.
O índice FTSEurofirst 300, referência das principais bolsas europeias, perdeu 0,4%, para 833 pontos, segundo dados preliminares. Mas o indicador acumula alta de 29% frente à mínima histórica alcançada em março. Em Londres, a baixa foi de 0,1%. Frankfurt e Paris caíram 0,29% e 0,21%, respectivamente.
Na Ásia, a Bolsa de Tóquio encerrou a sessão de terça-feira em baixa de 2,82%, um delínio provocado pela valorização do iene em relação ao dólar e às quedas dos mercados europeus e de Wall Street na segunda-feira. O índice Nikkei 225 perdeu 276,66 pontos, a 9.549,61 unidades.
(Com informações da France Presse e da Reuters)

Nenhum comentário: