Ocorreu um erro neste gadget

segunda-feira, junho 15, 2009

Bovespa segue mercado externo e fecha dia com queda de 2,85%

Investidores mostram ter perdido confiança na recuperação econômica.
Vendas afetaram quase todas as ações negociadas no índice Ibovespa.
O nervosismo internacional contaminou as negociações da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) nesta segunda-feira (15). O índice Ibovespa, referência para o mercado nacional, teve queda de 2,85%, terminando o pregão aos 52.033 pontos.
Por conta do cenário global negativo, somente duas ações (a Light e a Natura) tiveram ganhos nesta segunda-feira. Entre as quedas, destacaram-se a companhia aérea Gol, a construtora Cyrella e a empresa de telefonia celular TIM, todas com perdas de mais de 6%.
A mineradora Vale e a petrolífera Petrobras, as "blue chips" (ações mais negociadas) do mercado brasileiro, também tiverm um dia negativo, contribuindo para o resultado. As ações mais negociadas das duas empresas tiveram queda de mais de 1% nesta segunda.
O volume financeiro, evidenciando a participação de estrangeiros no mercado local, foi alto, ficando perto de R$ 7,9 bilhões. Pelo resultado do dia, entretanto, o movimento foi de venda nesta segunda.

Informações negativas
Dados sobre o mercado de trabalho na zona do euro reforçaram a visão de que os efeitos da crise financeira internacional ainda estão longe de acabar. A zona do euro perdeu um número recorde de 1,22 milhão de empregos no primeiro trimestre do ano. O número de empregados caiu 0,8% no período contra os três meses imediatamente anteriores.
Uma declaração do diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Dominique Strauss-Kahn, reforça essa visão ao declarar que o pior da crise global pode ainda estar por vir. "A maior parte do pior (da crise) ainda não ficou para trás de nós", disse.
Em seu informe anual sobre a economia americana, o FMI afirmou que o Produto Interno Bruto (PIB) dos EUA deve retroceder 2,5% em 2009. De acordo com as novas projeções do organismo multilateral de crédito, no ano que vem a economia dos EUA deve crescer 0,75%.

Outros pregões
Nos EUA, depois de dados negativos sobre o setor manufatureiro de Nova York e da perspectiva do FMI para a expansão do país, o resultado de Wall Street ficou no vermelho: o índice-referência Dow Jones fechou o dia com retração de 2,13%, enquanto o indicador eletrônico Nasdaq teve perda de 2,28%.
Na Europa, o dia foi de fortes perdas. O índice FTSEurofirst 300, que reúne as ações das principais praças do continente, fechou a segunda-feira com queda de 2,4%. Entre os principais mercados, o pior resultado foi em Frankfurt, onde as ações tiveram baixa de mais de 3,5%.
Na Ásia, as dúvidas sobre a recuperação econômica mundial levaram as principais bolsas a terminar a segunda-feira com queda.
(Com informações do Valor OnLine e da Reuters)

Nenhum comentário: