Ocorreu um erro neste gadget

quinta-feira, maio 14, 2009

Depois de três dias de queda, Bovespa 'vira' e fecha em alta de 1,58%

Depois de três dias de desvalorização motivada pela realização de lucros, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) "virou o jogo" e encerrou a quinta-feira (14) em alta.
Principal índice da bolsa paulista, o Ibovespa fechou com valorização de 1,58%, aos 49.446 pontos.
Na véspera, a bolsa paulista teve pior queda em dez semanas.
Na esteira do bom desempenho internacional do setor, as ações de bancos tiveram um dia de recuperação. As blue chips Petrobras e Vale também suibram, apoidas na recuperação das commodities.
A exceção foi Usiminas, a pior do Ibovespa, que caiu 3,92%, a R$ 32,10, depois de a companhia ter divulgado resultados decepcionantes do primeiro trimestre.
Em Wall Street, o índice Dow Jones da Bolsa de Nova York, subiu 0,56%.
Dados

Nesta quinta, o mercado também acompanhou os dados do governo dos EUA , que divulgou que 637 mil americanos foram em busca do seguro-desemprego na semana passada, 32 mil a mais que no período anterior. Segundo o Departamento de Trabalho, o aumento refletiu as demissões no setor automobilístico, especialmente depois da falência da Chrysler.



No Brasil, o emprego na indústria paulista caiu 1,09% em abril sobre março, com ajuste sazonal, mas sem ajuste registrou uma alta de 0,8%, o que equivale à abertura de 19 mil vagas no mês, de acordo com dados da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

Dados corporativos
No lado corporativo, atenção para as ações do Wal-Mart, que apresentou lucro acima do esperado para o trimestre. Já na Europa, o BT Group apontou prejuízo trimestral de US$ 1,5 bilhão, cortou os dividendos em 60% e anunciou a demissão de 15 mil funcionários. A japonesa Sony registrou seu primeiro prejuízo anual em 14 anos.
Por aqui, a CSN apresentou uma queda de 52% no lucro do primeiro trimestre, que ficou em R$ 368,82 milhões. Já o Banco do Brasil embolsou R$ 1,66 bilhão durante os três primeiros meses de 2009, ou 29% menos que o observado um ano antes.
(Com informações da Reuters e do Valor Online)

Nenhum comentário: